© 2017. Todos os direitos reservados. 

Proibido reproduzir parcial ou totalmente qualquer texto, imagem, foto ou conteúdo desta página.

Rito Escocês Retificado

O que é o R.E.R (Rito Escocês Retificado)

O Rito Escocês Retificado é fruto do trabalho pessoal de dois dos mais importantes maçons do final do século 18, Jean Baptiste Willermoz e o Conde Louis Claude de Saint Martin, ambos eminentes membros da Ordem dos Cavaleiros Maçons Ellus Cohem do Universo de Dom Martinez de Pasqually.  A intenção de ter um Rito Escocês Retificado (que de forma alguma procurava ou procura modificar qualquer outro Rito Maçônico) seria trazer de volta antigas influências dos Cavaleiros Templários, como um rito de cavalaria. Segundo Willermoz o Rito havia se descaracterizado com o tempo, perdendo assim sua identidade original como um Rito de Cavaleiros.

Foi relançado nas suas bases atuais, graças ao trabalho incansável de Jean-Baptiste Willermoz, que mantinha relações com maçons de toda a Europa, principalmente com os Irmãos mais qualificados de todos os ritos e Louis Claude de Saint Martin, com inegável influência nos aspectos Sacerdotais do Regime.

Willermoz aliás, passou a vida inteira reunindo todo o tipo imaginável de documentos, rituais e instruções, buscando alcançar a essência da iniciação maçônica. O sistema maçônico que o interessava de imediato, foi o da Ordem da Estrita Observância Templária, em razão das origens templários que esse sistema atribuía à Maçonaria e por sua organização em forma de ordem de cavalaria.

Jean-Baptiste Willermoz era muito estimado pelos seus discípulos, principalmente pelas maneiras cordiais, amigáveis e sedutoras. Ele tinha como profissão profana a fabricação e comércio de artigos de seda, sendo ainda um grande proprietário de imóveis na cidade de Lyon, no centro da França.

Desde jovem, conseguiu reunir em torno de si um grupo de homens devotados à causa espiritual, tais como já afirmamos Louis Claude de Saint-Martin, Joseph de Maistre, Martinez de Pasqually entre outros.

Jean-Baptiste Willermoz iniciou-se na Maçonaria em 1750. Com 20 anos de idade e já em 1752 era Venerável Mestre da sua loja e um ano mais tarde fundou a loja ";A Perfeita Amizade", que desempenhou um papel muito importante mais tarde. Em 1756 obteve a filiação da sua loja na Grande Loja da França. Em 1760, com 30 anos de idade, fundou uma segunda loja: "Os Verdadeiros Amigos"; juntamente com o Venerável da sua primeira loja: "A Amizade";, o irmão Jacques Irenée Grandon. Nesse mesmo ano, as três lojas Amizade, A Perfeita Amizade, e os Verdadeiros Amigos, sob a coordenação de Willermoz, fundam a Grande Loja Dos Mestres Regulares De Lyon, que recebeu Grandon como o seu primeiro presidente. Esses maçons tinham como objetivo a volta às suas origens primitivas.

Willermoz torna-se Grão-Mestre em 1761, reelegendo-se em 1762, mas desinteressou-se em seguida, devido ao aumento das tarefas administrativas. Além disso, ele estava desgostoso com a banalidade dos trabalhos maçônicos o que o induziu a fundar o Capítulo dos ";Cavaleiros Da Águia Negra", onde recrutava os melhores elementos de todas as lojas da cidade, ou seja a elite maçônica da França e da Europa. Na incansável busca dos fundamentos originais e superiores do trabalho maçônico, especialmente Templário , levou  Willermoz a novos caminhos dado que a base de simbolismo já era do seu pleno conhecimento e havia conseguido formar Mestres capazes de continuar esse trabalho de instruir o s maçons do capítulo; segundo porque encontrou Martinez de Pasqually em 1767, quando tinha 37 anos de idade. Martinez, que como se sabe, foi o fundador da Ordem dos Cavaleiros Maçons Elus Cohens do Universo, sistema operativo, cujo ensinamento marcou profundamente o espírito de Willermoz.

Os Cavaleiros Benfeitores da Cidade Santa, comumente conhecidos como Chevaliers Bienfaisant de la Cité Saint (CBCS), se constituíram como já afirmamos depois de uma Convenção celebrada em Wilhelmsbad em 1782 e é a ordem maçônica mais antiga conectada com a franco-maçonaria que teve uma existência contínua. Deriva-se portanto do Rito de Estrita Observância de 1754 da qual fez parte Jean Baptiste Willermoz um dos mais importantes discípulos de Dom Martinez de Pasqually ( fundador do Rito de Ellus Cohem), juntamente com o Conde Louis Claude de Saint Martin. Esta fundação se atribuiu ao Barão von Hund que propunha a teoria de que a franco-maçonaria se desenvolvesse diretamente dos Cavaleiros Templários, incluindo a crença segundo a qual a Ordem foi governada pelos "Superiores Desconhecidos" ou "Superiores Incógnitos".


Naquela época houve muitas Províncias espalhadas por toda a Europa, mas lentamente, durante 28 anos, a influência da Estrita Observância terminou e foi reconstruída para transformar-se no Regime Escocês Retificado (RER). Os graus da Ordem (não trabalhados ao completo por todos os Priorados) são praticamente na Loja de Santo André e na Ordem Interior, operando sob a autorização do Grande Priorado de Helvetia. Os graus do Regime se estruturam como segue:

Conferidos em uma Loja Simbólica ( Loja Azul):


1. Aprendiz
2. Companheiro
3. Mestre Maçom


Conferidos em um Grande Priorado:

4. Cavaleiro de São André  ( Loja Verde)
5. Escudeiro Noviço ( Lojas vermelhas)
6. Cavaleiro Benfeitor da Cidade Santa ( CBCS)


Além de Suíça, existem atualmente outros seis Grandes priorados no mundo, situados por exemplo nos  Estados Unidos, França, Inglaterra, Portugal, Espanha,  Bélgica, Togo dentre outras.

 

 

Os Graus


O grau de São André é conferido a Mestres Maçons de qualquer Rito Maçônico Reconhecido, entretanto, apesar do nome "Regime Escocês Retificado" não tem nenhuma conexão com Escócia.



Mestre Escocês de São André


Este grau faz referência à tradição divina do Templo de Salomão e a presença permanente da Santa Shekinah. Também se deduz que enquanto o primeiro Templo foi destruído, dentro das ruínas permanecia o sagrado conhecimento do Deus de Israel. Os Graus seguintes são secretos e somente conferido aos reconhecidamente merecedores, não sendo transmitido por interstício automático ou com o cumprimento de obrigações meramente burocráticas ou acadêmicas.

 

 

 

Escudeiro Noviço

O grau, que é de Escudeiros, se outorga em uma Comandância. Conta uma lenda do princípio da era Cristã, na qual os sábios moradores da Cidade Santa foram convertidos ao Cristianismo por São Marcos. O trabalho secreto de iniciação requer que sua doutrina tradicionalmente se transmita de forma oral, culminando nos Cavaleiros Templários, que se supõe foram os últimos custódios deste conhecimento divino. O Grau de Escudeiro Noviço que dá ao Mestre Escocês de Santo André ferramentas necessárias para a sua formação espiritual , moral e princípios filosóficos de modo a leva-lo de forma consciente  ao ponto máximo dentro da Ordem.

 

 

Cavaleiros Benfeitores da Cidade Santa ( CBCS)

 

 


 

 

 

 

 

 

Este é o Grau Final do Rito Escocês Retificado e reúne a princípio, mas não exclusivamente  somente Mestres Maçons Instalados (M.: I.:) que tenham sido anteriormente recebidos nos graus anteriores do RER. O Grau de CBCS se revela ao Noviço no zênite da antiga cristã Primitiva. Explicando-se que a Cavalaria da Cidade Santa se manifestou em bons trabalhos e  o verdadeiro caminho da perfeição  pela difusão dos mesmos, assegurando a grande bondade à família humana e a última conquista do verdadeiro esclarecimento.

 

Qualificação

O número de membros de uma Loja ou de um Priorado está estritamente limitado e a prerrogativa de convite e se encontra firmemente em mãos da hierarquia. O RER historicamente optou pela qualidade e não quantidade de obreiros, tanto é assim que a fraternidade raramente é citada como um Rito numeroso ou com um grande número de oficinas simbólicas ou filosóficas. Com características e filosofia fortemente enraizadas no Cristianismo, esta é uma das poucas exigências que se faz ao candidato, além é claro daquelas relacionadas com o desejo e aptidão para o trabalho espiritual e esotérico.